Loading...

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Anarquismo Prof. Mauro de Souza



O Anarquismo
Leitura complementar: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/tudosobreanarquia.pdf


Se você acredita que já viu de tudo, então, posso afirmar que ainda estamos no começo de uma longa jornada para o "melhor dos mundos possíveis". Todo sociedade deve trabalhar o coração e a mente dos seus cidadãos para que a vida seja mais justa, sem fome, sem miséria, sem corrupção, precisamos de um novo jeito de ser e de administrar!

"Quando falamos em “anarquia”, muitos acreditam que a expressão tem a ver com qualquer evento ou lugar carente de organização. Contudo, essa apropriação contemporânea está bem distante das teorias que integram o chamado pensamento anarquista, estabelecido logo depois que as contradições e injustiças do sistema capitalista já se mostravam visíveis no século XVIII.

Um dos precursores do anarquismo foi William Godwin (1756 - 1836) que, já naquela época, propunha um novo tipo de arranjo social em que as pessoas não estivessem subordinadas à força dos governos e leis. Em sua perspectiva, acreditava ser possível que em um contexto dominado por princípios racionais e equilibrado entre as necessidades e vontades, seria possível conduzir a vida em sociedade. Além disso, também defendia o fim da propriedade privada.

Já no século XIX, notamos que outros pensadores passam a aprofundar as discussões de natureza anárquica. Entre essa nova leva de teóricos podemos citar as contribuições dadas por Mikhail Bakunin, Joseph Proudhon, Enrico Malatesta, Leon Tolstoi, Max Stirner e Peter Kropotkin. Em geral, todos eles tentaram trilhar caminhos que pudessem conceber uma sociedade plenamente libertária.

Conforme já salientado, os anarquistas concordavam que toda instituição dotada de poderes impedia o alcance da liberdade. Dessa forma, o Estado, a Igreja e muitos costumes são criticados na condição de verdadeiros entraves para o alcance de um mundo regido por pessoas livres. Paralelamente, as diferenças que identificam as classes sociais também seriam combatidas por meio da extinção das propriedades privadas.

Em uma sociedade desprovida de Estado, a produção e o gerenciamento das riquezas seriam estipulados por meio de ações cooperativistas. Nesse contexto, todos alcançariam condições de possuírem uma vida minimamente confortável e ninguém teria sua força de trabalho explorada em benefício de um terceiro. Logo, a violência e a miséria dariam lugar para um novo mundo regido pela felicidade da ampla maioria.

Assim como os socialistas, os anarquistas acreditavam na expressa necessidade de se realizar um movimento revolucionário que combatesse as autoridades vigentes. Apesar de tal concordância, os anarquistas não acreditavam que uma ditadura do proletariado fosse realmente necessária para que a sociedade comunista fosse alcançada. Em sua visão, a substituição de um governo por outro somente fortaleceria novas formas de repressão e desigualdade".

Por Rainer Sousa
Graduado em História
FONTE: http://www.brasilescola.com/sociologia/anarquismo.htm



A filosofia é revolucionária






filosofar é aprender a ver o mundo Quririm





Filosofando no Quiririm






Filosofia no Quiririm









quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Horário Eleitoral Político em Taubaté 2012

Não tenho dúvidas, estamos num verdadeiro "circo demagógico", quantos políticos corruptos querendo continuar a sua ação falaciosa na sociedade taubateana!

Estou assistindo a todos os horários eleitorais, e fico assustado com o que vejo! Não tenha receio de questionar e analisar criticamente os futuros legisladores de nossa cidade, critique e vote consciente!

Como escritor e militante político vou acompanhar bem de perto essas eleições, não vamos compactuar com a mentira e a corrupção!


Não venda o seu voto, seja consciente! Você pode mudar a história de Taubaté!


Prof. Mauro de Souza